Copyright Disclaimer

Do not reproduce any of my texts published here. Plagiarism will be detected by Copyscape.

sexta-feira, janeiro 30, 2015

Solilóquio

Solilóquio
Soaroir 30/1/205
(para Antologia Imagem e Literatura nº 32: Looking in the mirror)


Eu?
Sem preconceito
Sou prata
Plano o côncavo
Às vezes o convexo
Cruel
Redondo, quadrado
Estático
Analisando a parede oposta
Até que a luz se apague...
Eu?
Sou teu espelho

segunda-feira, janeiro 26, 2015

Ano da Cabra

Signo chinês
porco

Porco

Omega

Soaroir
Jan.25/2015

"The Gates of Dawn"


Dos campos maus,
jardins molhados
sob cujo sol a chama
dos céus lavados...
e de minhas lágrimas :
Regato - onde repouso
às sombras dos açoites
e  de minhas chagas abertas
a cada vir da Aurora
até o ômega desta alma...

Continua – Soaroir 25/1/15


(http://silviamota.ning.com/group/antologia-imagem-e-literatura) 31

segunda-feira, dezembro 29, 2014

Twinkle twinkle estrelinha

Soaroir 29/12/14

Para o tema Bom Dia
Antologia Imagem  e Literatura nº 27 (PEAPAZ)

(Bom Dia - Vicente Romero Redondo)

Era uma vez uma estrela
Decidida a viver do dia
   solitária ela reinava

- Pelo menos uma janela
   há de responder meu “bom dia”!

Mas ela tão pequenina
   diante do astro rei
      ninguém a percebia

Conformada ficou na noite
   ´inda gritando "Bom Dia"!

quinta-feira, dezembro 25, 2014

Não Gosto de você Papai Noel

(Dez dias antes do Natal  2010 a "familia Pinheiro  " nos despejou de onde eu morei por mais de 30 anos - ainda vivo  as consequências daquela injúria...

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010


Não gosto de você, Papai Noel! - Ademar Paiva


Não gosto de você, Papai Noel!
Também não gosto desse seu papel
de vender ilusões à burguesia.
Se os garotos humildes da cidade
soubessem do seu ódio à humildade,
jogavam pedras nessa fantasia!

Você talvez nem se recorde mais.
Cresci depressa e me tornei rapaz,
sem esquecer no entanto o que passou.
Fiz-lhe bilhete pedindo um presente,
a noite inteira eu esperei contente,
chegou o sol e você não chegou.

Dias depois, meu pobre pai cansado
trouxe um trenzinho velho, empoeirado,
que me entregou com certa hesitação.
Fechou os olhos e balbuciou:
"É pra você... Papai Noel mandou..."
E se esquivou contendo a emoção.

Alegre e inocente nesse caso,
pensei que meu bilhete com atraso
chegara às suas mãos no fim do mês.
Limpei o trem, dei corda, ele partiu,
deu muitas voltas, meu pai sorriu
e me abraçou pela última vez.

O resto só eu pude compreender
quando cresci e comecei a ver
todas as coisas com realidade.
Meu pai chegou um dia e disse, a medo:
"Onde é que está aquele seu brinquedo?
Eu vou trocar por outro na cidade".

Dei-lhe o trenzinho quase a soluçar,
e como quem não quer abandonar
um mimo que lhe deu quem lhe quer bem,
disse medroso: "Eu só queria ele...
Não quero outro brinquedo, quero aquele
E por favor, não vá levar meu trem".

Meu pai calou-se e pelo rosto veio
descendo um pranto que eu ainda creio,
tão puro e santo, só Jesus chorou.
Bateu a porta com muito ruído,
mamãe gritou, ele não deu ouvidos,
saiu correndo e nunca mais voltou.

Você, Papai Noel, me transformou
num homem que a infância arruinou,
Sem pai e sem brinquedos. Afinal,
dos seus presentes, não há um que sobre
para a riqueza do menino pobre
que sonha o ano inteiro com o Natal!

Meu pobre pai doente, mal vestido,
pra não me ver assim desiludido,
comprou por qualquer preço uma ilusão:
num gesto nobre, humano, decisivo,
foi longe pra trazer-me um lenitivo,
roubando o trem do filho do patrão.

Pensei que viajara. No entanto
depois de grande, minha mãe, em pranto,
contou que fora preso. E como réu,
ninguém a absolvê-lo se atrevia.
Foi definhando, até que Deus um dia
entrou na cela e o libertou pro céu!

fonte:   http://silvio-araujo.blogspot.com.br

quinta-feira, dezembro 18, 2014

Velhos Natais

Velhos Natais
Sempre fica um pouco.
Do cheiro do pão. Da mãe
do fogão. Dos brinquedos
amontoados no chão...

 Soaroir de Campos em 1 dezembro 2012 

sábado, dezembro 06, 2014

Coreografia para 2015

Coreografia para 2015
By Soaroir  6/12/14
(primeiro rascunho)

copyright soaroir

Não te incomodes se não dançares bem;
Se não conseguires acompanhar o passo da maioria -
Apenas te levanta e, um passo após o outro,
Desliza-te entre brisas e tufões
Entre marolas e vagalhões
E ritme com palmas os intervalos;
Sigas a batida do coração,
Não te deixa prender pelos cordéis
Escrevas tua própria canção
Que a vida dará tom
E dança – dança...
Imagina-te Ginger Roger... Fred Astaire
Dança...dança que este palco é todo teu.

Soaroir 6/12/14

VERSÃO II:

Coreografia para 2015
By Soaroir  6/12/14
(primeiro rascunho)

Não te incomodes se não dançares bem;
Se não conseguires acompanhar o passo da maioria -
Apenas te levanta e, um passo após outro,
Desliza-te entre brisas e tufões
Entre marolas e vagalhões
E ritme com palmas os intervalos;
Sigas a batida do coração,
Não te deixa prender pelos cordéis -
Escrevas tua própria canção
Que a vida dará tom
E dança – dança...
Imagina-te Ginger Roger...
...Fred Astaire  - Dança... Dance...Dançai...
DANÇA! que este palco é todo teu.

Soaroir 6/12/14

quinta-feira, novembro 27, 2014

Um Amor de Suez

UM AMOR DE SUEZ

Soaroir 13/7/2006  (reedição)
UM ENVELOPE POR BAIXO DA PORTA,
UMA CARTA PENDURADA NO GRADIL...
AH ! COMO ERA BOM ESPERAR O CARTEIRO.

MENSAGEIRO ÁS VEZES ARDIL...
QUE TRAZIA CARTAS DE AMOR,
MORTE, SEPARAÇÃO OU ABANDONO,
AS NOTÍCIAS QUE SOBREVINHAM DOR,
TAMBÉM ERA ELE QUEM TRAZIA.

ANTES QUE SE DESSE POR CONTA,
DE SURPRESA ESTAVA LÁ !
ERA A MAIOR ALEGRIA...

UM CARTÃO, UM BILHETE, UMA FLOR,
ERA A MENSAGEM - NÃO IMPORTAVA,
SE DE ALEGRIA, PESAR OU AMOR.

ERA A MÃE SE PREOCUPANDO,
OU VENDO O FILHO PARTINDO;
IA UMA BLUSA DE FRIO,
VINHA O TEMPO TRICOTANDO.

AS MALHAS DA ESPERA,
DO AMOR QUE SE QUERIA REVER,
ERA MEU J... CHEGANDO,
DA I...... OU SUEZ......

- CARTEIRO ANDE LOGO !
USE DE RAPIDEZ !
QUERO PEGAR NA MÃO,
SENTIR A CALIGRAFIA,
RASGAR O ENVELOPE BEM RÁPIDO,
CHEIRAR O PAPEL DE DENTRO,
BEIJAR O BEIJO DE LONGE,
TOCANDO NA PELE SEM TEZ

CARTEIRO SE AQUIETE...
TUDO FOI ANTES DE AGORA,
ISSO JÁ É REMOTO,
É PRECEDENTE À INTERNET

"SOAROIR"
Soaroir
Enviado por Soaroir em 13/07/2006
Reeditado em 13/07/2006
Código do texto: T193162
Classificação de conteúdo: seguro

quarta-feira, novembro 12, 2014

Poesia sem A

Poesia sem "A"

Tédio
soaroir 26/10/09

(reedição)
…fome
ôco no pré-duodeno
no imo, no sentimento
escôo dos elementos
extremos sem termos
de fins ou de meios;
debilitude - entorpecimento
do privo no privo:
nos cômodos, no colo
no desejo de questões
no denodo ou no medo;
esmorecido de comer –
cornucópios ou insultos
nem ódios, pelouros e fitos
desprezos – sustentos
frescos nem dormidos.

Soaroir
Enviado por Soaroir em 27/10/2009
Reeditado em 01/11/2009
Código do texto: T1889773 

domingo, novembro 09, 2014

xperimentos

Soaroir 9/11/14

Com dois filhos cientistas, vou dando linha às minhas experiências... (rsrsr)



fotos/Soaroir 9/11/14