Copyright Disclaimer

Do not reproduce any of my texts published here. Plagiarism will be detected by Copyscape.

domingo, dezembro 29, 2013

Porque Me Ufano do Meu País

Editado em 1900, Porque Me Ufano do Meu País, do conde de Afonso Celso, foi traduzido em doze línguas, vendeu zilhões e criou o sentimento do ufanismo. Quer dizer, antecipou o dito de Nelson Rodrigues: "Toda unanimidade é burra". É só ver show com 1 milhão de assistentes, Jornal Nacional destinado a 30 milhões de espectadores, discurso de candidato político visando a 50 milhões de eleitores.
Nos anos 60 escrevi peça usando o título Porque Me Ufano do Meu País, gozação evidente. A Censura proibiu, por não perceber a gozação. Ou por perceber, sei lá.
Revista Veja - Edição 1945 . de março de 2006.
(...) reprodução de trechos:



• Quando disserdes "Somos brasileiros!", levantai a cabeça, transbordantes de nobre ufania. Deveis agradecer todo dia a Deus o haver Ele vos outorgado por berço o Brasil.
• A flora brasileira é maravilhosamente rica, dado aí se juntarem todas as flores e frutas do universo.
• Negros, brancos, peles-vermelhas, mestiços, vivem aqui em abundância e paz.
• As matas brasileiras são tão compactas que se lhes poderia caminhar por cima.
• Notabiliza-se ainda a floresta brasileira pela ausência relativa de animais ferozes.
• Os pampas do sul, pátria do tufão, são atravessados por armentos de poldros indômitos, têm jardins incomparáveis, flora opulenta, fauna inestimável – aves que não emigram, de bem que se acham onde nasceram.
• Abundam em várias regiões do país minas de ouro e jazidas de diamantes. Algumas regiões chamam-se, com propriedade, Ouro-Branco, Ouro-Preto, Ouro-Fino, Diamantina.
• Em certas regiões até a poeira dos caminhos é aurífera.
• Em alguns pés, em Mato Grosso, as laranjas, já muito doces, quando murcham nos galhos reamadurecem dulcíssimas. Verdadeira ressurreição.
• Ao lavrador é fácil retirar da terra tudo quanto precise, exceto sal, de que, aliás, se encontram no Brasil grandes jazidas.
• Quase todas as culturas dão duas colheitas anuais.
• Em seu subsolo, solo, ares, selvas, águas, está tudo. Poderia, se quisesse, erguer em torno de suas fronteiras a Muralha da China.
• Ninguém, querendo trabalhar, morrerá de fome. Parece país de milionários, tão largamente se gasta.
• Feridas e amputações cicatrizam mais depressa do que nos hospitais do Velho Mundo.
• As florestas têm poucos animais ferozes. Os que existem limitam-se a defender-se, fazendo escassas vítimas.
• No Amazonas se conhecem albinos que entretêm grande familiaridade com animais. As onças aí são inofensivas. Serpentes gigantescas guardam as cabanas.
• Entre nós há tolerância e ausência de preconceitos de raça, religião, ou posição, decaindo mesmo em promiscuidade.
• O Brasileiro, em última análise, passa os dias mais felizes do que o alemão, o francês, o inglês, dias mais serenos, mais risonhos, mais esperançosos.
• Quase todos os homens políticos brasileiros legam à miséria as suas famílias. Qual o que já se locupletassem à custa do benefício público? "

(e-book: http://www.ebooksbrasil.org/eLibris/ufano.html )

Nenhum comentário: