Copyright Disclaimer

Do not reproduce any of my texts published here. Plagiarism will be detected by Copyscape.

segunda-feira, novembro 05, 2007

Mulher Madura

MATRIX®Soaroir 5/11/07 – 12:45hs




Domina o clã

À distância

Administra a filial

Sua especialidade,

Sinceridade...?

É a sua cara-de-pau.

Quando há deficit

Demite o gerente

Abraça sozinha a causa

Negocia os valores

Muda de aplicação

Pagos os micos e os juros

Em pró da emancipação

Dá-se ao luxo de bem dizer

Em rima e às vezes não,

Que mulher madura

Não é mais a menina

Nem a melanina!.

Aparece o buço,

Procrastina.

Ela sente os efeitos,

Revê seus direitos.

Cobra mais de si

Os malfeitos.

Perde emprego,

Adultera o apego;

Enfrenta a pausa,

Encontra sossego:

Degusta o gozo

Jovem e licoroso,

Bordeaux ou blanc

Mais gostoso.

Descartada a agrura,

Prefere a brandura;

Deleitea-se com a vida

A sempre mulher...

Agora madura.



P/poesia on-line do RL

Um comentário:

Miro martins disse...

Adorei esse seu poema. Gostei da forma como escreve.
Madura , sintética.
Visite meu blog.
www.mmartinsjunior.blogspot.com

se me permitires vou incluir o seu blog nos links do meu, e se quiseres podes fazer o mesmo comigo.