Copyright Disclaimer

Do not reproduce any of my texts published here. Plagiarism will be detected by Copyscape.

quarta-feira, outubro 17, 2007

OS POEMAS SÃO SANHAÇOS












Imagem: ARCOR

© Soaroir 17/10/07 11:45
Para o mote: "Os poemas" de Mário Quintana"

Os poemas são sanhaços

aves canoras de-bico-doce

de plumagens coloridas

bem no alto fazem seus ninhos.

Subdivididos em subordem

nem sempre chegam em bando

a reprodução tem tempo certo

como qualquer um passarinho.




De Mário Quintana OS POEMAS
"Os poemas são pássaros que chegam
não se sabe de onde e pousam
no livro que lês.
Quando fechas o livro, eles alçam vôo
como de um alçapão.
Eles não têm pouso
nem porto
alimentam-se um instante em cada par de mãos
e partem.
E olhas, então, essas tuas mãos vazias,
no maravilhado espanto de saberes
que o alimento deles já estava em ti..."

Um comentário:

John D. Godinho disse...

Poems are
birds that come
nobody knows from where
and touch down on the book
you are reading.
When you close the book,
they take flight,
as if fleeing from a bird trap.
They have no resting place,
no haven,
they feed, for an instant,
from each pair
of hands
and leave.
Then, you look
at your empty hands
wondrously surprised
to know
that their nourishment
was already in you...

Mario Quintana
(translated by John D. Godinho)
Poems in Time’s Hiding Places