Copyright Disclaimer

Do not reproduce any of my texts published here. Plagiarism will be detected by Copyscape.

quarta-feira, outubro 31, 2007

pragas de gavetas

by Soaroir Maria de Campos
31/10/07 11:26
Mote:"Está findando o prazo de validade
do(s) sonho(s) que eu engavetei
."



ao arrastar os móveis encontramos pó;

aranhas bem instaladas

em suas confortáveis teias

indagando assustadas:

“o que foi que mudou?...”

ao revirar os guardados ouvimos

das tíneas alegação tecida

com a mais pura seda de nossa rouparia,

razões para casulos secos ou com vida.

finalmente, ao chegarmos ao desvão,

depois de se ter descido até o porão,

despejamos todas as antigas pragas,

assumimos de pronto nossa habitação.

desativados os persistentes engavetados,

marcamos novo prazo pra arrumação.




"Há tanta luz em Paris, porque há, também, grande escuridão,
onde nasceram os poetas e toda a arte"
Gosto dessa evolução, explosão, em poesia. ...desativados os persistentes engavetados
marcamos novo prazo para revisão...
e assumimos a nossa habitação.  Soaroir 31/10/2007


Quem não souber povoar a sua solidão, também não conseguirá isolar-se entre a gente. ( Charles Baudelaire )

Um comentário:

Soaroir de Campos disse...

tem coisas q escrevo q sempre reaparecem quando preciso...