Copyright Disclaimer

Do not reproduce any of my texts published here. Plagiarism will be detected by Copyscape.

quinta-feira, abril 15, 2010

Delírios

Soaroir
14/4/10

"vendaval dos amantes" William Blake


se não tendes estômago – não vades em frente
oh filhas de Maria, beatas consasagradas
aos estupros dos amantes a mancharem alvos véus
deixados nos altares da inocência – depois
de cada farsa e santíssima eucaristia
recuo-me como se anjo sem asas eu fosse
e do alterego rasgo toda a fantasia engolida
e reengolida em embutidos de verdades
aclamadas em luminosos códigos de barra
vomitai. Vomitai. Vomitai ...Se chegastes até aqui
oh deflorada criatura - vossa loucura suplanta a minha.

(depois arranjo os verbos)

Um comentário:

Soaroir de Campos disse...

comentários para esta poesia e que merecem ser registrados aqui, onde aproveito para agradece-los:



Comentário de Silvia Mendonça em 25 abril 2010 às 0:28
Delírios... versos fantásticos, que não necessitam serem rearanjados, minha amiga. Destes arremates precisos à tua fala, desvendando a hipocrisia, deixando aparecer o vermelho/nódoa nos alvos véus.
Amei! Namastê! Beijos da Silvia


Comentário de Leuzo de Siqueira em 24 abril 2010 às 21:36
Arranjar os verbos?
Estão perfeitos.
Lindo poema!